O futuro dos consoles de videogame

17/04/2011 - Thiago Bittencourt, João Vítor Braz e Arthur Petrilo

Você já deve ter percebido que cada vez são mais populares os chamados consoles de videogame da sétima geração. Eles são os videogames mais novos à venda nas lojas atualmente. Os mais conhecidos são: PlayStation 3 (PS3), Wii e Xbox 360.

Muitos gamers em todo o globo têm se perguntado quando que as grandes corporações irão aposentar estes aparelhos e lançar seus sucessores. Não há uma data específica ainda, e os consumidores, achando que seus consoles estão “velhos”, acabam se decepcionando.

Nos casos das máquinas que acessam a internet, uma das justificativas dadas para o não-lançamento de novos aparelhos é que como os mesmos já vieram com um hardware potente da fábrica, para acrescentar quaisquer funcionalidades aos mesmos só basta liberar uma atualização de software.

Independentemente das atualizações virtuais, é certo que uma hora os consoles terão que ser mudados. Tecnologias como os sensores de movimento ou as melhoras na resolução de imagens (especialmente em 3D) exigem grande poder de processamento, e essas exigências certamente ultrapassarão as capacidades atuais.

Devido à demanda por um console no qual os jogadores controlem o jogo se movimentando, Sony e Microsoft correram para desenvolver acessórios desta tecnologia, para não haver perda de consumidores entre os gamers que não são hardcore (fãs do jogo tradicional, de jogos específicos, usando controle) para a Nintendo, com seu Wii, que já possuía uma funcionalidade similar muito antes de seu crescimento de mercado.

O número de vendas de cada um dos aparelhos citados acima está quase igualmente dividido. Isso se dá, entre outras razões, pela exclusividade de certos consoles com certos jogos, ou até mesmo adaptação dos jogos a um console. Um exemplo é a série Call of Duty, que embora tenha versões para diversas plataformas, ela é mais conhecida no PS3.

Não é possível prever completamente o futuro dos videogames, mas as recentes inovações dão pistas de que os novos aparelhos terão mais memória, melhores gráficos e mais opções de jogos, além de uma melhora no sistema de controle por movimento, que por enquanto é baseado em objetos sem fio que devem ser portados pelos jogadores.